Conheça a linha de cadernos, cadernetas, planners, agendas, blocos e muito mais! Na hora de comprar, já sabe: Cadernos Jandaia!

www.jandaia.com

 

 

conheça

 

O mini-handebol é uma atividade de iniciação aos princípios do handebol, que visa trabalhar de forma adaptada, lúdica e global todo o processo de ensino dos movimentos, ações, aplicações e particularidades dos mesmos aos jogos com ou sem bola para crianças de 5 a 10 anos de idade.
Mais do que um jogo, o mini-handebol é uma filosofia que valoriza o jogo infantil, isto é, inclui prazer, diversão, aventura e, por outro lado, orienta-se no sentido da metodologia e da didática da Educação Física e desportiva para crianças do primeiro ciclo do ensino básico (5 a 10 anos de idade), sendo adaptável tanto à escola como aos clubes (Garcia, 2001).
Por meio de jogos, brincadeiras, exercícios, situações e atividades que respeitem as características, individualidades e necessidades das crianças, o mini-handebol preza pelo desenvolvimento global do indivíduo, ou seja, atua de maneira intensa no desenvolvimento das capacidades e habilidades:

- Físicas;
- Motoras,
- Cognitivas;
- Socioafetivas;
- Educacionais;
- Esportivas;
- Cidadãs.

E tudo é pensado, planejado e executado por meio de atividades que sejam agradáveis, prazerosas e significativas às crianças.
Ao mesmo tempo em que o mini-handebol é fácil de jogar, justamente por envolver habilidades fundamentais e regras simples, se mostra versátil e dinâmico em relação a contemplar diversos objetivos, podendo ser explorado tanto em escolas quanto em clubes e projetos sociais, com propostas que tem poder educativo, esportivo, social e formativo.
É uma modalidade que pode ser praticada por qualquer criança, pois o principal objetivo do mini-handebol é ser uma atividade que proporcione condições e experiências variadas e positivas, sem se importar com treinamentos rígidos, táticas ou placares de jogos, ou seja, o mini-handebol é uma atividade que deve ser incentivada a ser praticada com e por prazer.
Caracterizada por ser uma atividade feita na medida para as crianças, as atividades práticas são repletas de adaptações físicas e pedagógicas que
possam contribuir para o melhor andamento e desenvolvimento do processo de aprendizagem. Itens como: bola, número de jogadores, traves, tamanho de
quadra, regras básicas etc. são somente alguns itens que foram adaptados do handebol.

Quer saber mais sobre o mini-handebol?
Faça o seu download gratuito do livro oficial de mini-handebol da Confederação Brasileira de Handebol.

 

 

  

O que é o Mini-Handebol Brasil?

O Mini-Handebol Brasil é o Programa de Desenvolvimento Nacional do Mini-Handebol oficial da Confederação Brasileira de Handebol.


Quem desenvolveu o programa?

O programa foi desenvolvido pela diretoria de mini-handebol em conjunto com todas as diretorias da Confederação Brasileira de Handebol.


Diferença entre Polo Futuro e Polo Oficial
Polo Futuro: Não trabalha com o mini-handebol, mas quer a assistência e apoio da CBHb para o projeto se concretizar no futuro.

Polo Oficial: Já trabalha com o mini-handebol, a instituição já oferece o mini-handebol, tem aulas periódicas, crianças inscritas etc. Caso seja aprovado recebe o Selo de Polo Oficial e muitos outros benefícios, um reconhecimento da CBHb ao trabalho desenvolvido em prol das categorias de base.
Este é o formulário para este caso.

Quais são os objetivos do Mini-Handebol Brasil?
São 5 objetivos principais:
1°: Popularizar e democratizar o mini-handebol em todo território nacional, por meio do apoio e concessão de chancela aos denominados “polos oficiais”, apoio aos participantes denominados “chancelas futuras”, promoção de cursos de diversos tipos e níveis, programas continuados de capacitação de professoras e professores, realização de festivais, organização de encontros virtuais e presenciais acadêmicos nacionais e internacionais entre muitas outras ações possíveis.

2°: Proporcionar para as crianças de 05 a 10 anos de idade a oportunidade de vivenciar, aprender e se desenvolver por meio do mini-handebol de maneira embasada, lúdica e positiva, em todo Brasil.

3°: Promover um programa de formação de professoras e professores de forma progressiva e constante, auxiliando os responsáveis de cada unidade do Mini-Handebol Brasil nas ações pedagógicas de cada unidade chancelada.

4°: Aumentar de maneira quantitativa e qualitativa o número de pessoas envolvidas com mini-handebol e handebol, promovendo ações em prol de toda comunidade do programa Mini-Handebol Brasil, tais como: programa de chancela futura, oferecimento de palestras periódicas para as famílias, proporcionar vivências diversas para as crianças, realizar workshops em escolas, clubes e instituições que se interessem pelo mini-handebol, incentivar eventos e jogos de mini-handebol antes, durante e depois de jogos de handebol, elaborar materiais didáticos para escolas, cursos de educação física, federações etc.

5°: Criar uma rede de cooperação do mini-handebol entre instituições e profissionais de todo Brasil, multiplicando conhecimentos, experiências, práticas e teorias acerca da modalidade.
Ter uma chancela oficial do "Mini-Handebol Brasil" significa:
A chancela é um selo de qualidade e o reconhecimento da Confederação Brasileira de Handebol conferido à instituições que já realizam um trabalho em prol das crianças e do mini-handebol, portanto:

1°: Ser reconhecida nacionalmente como um polo oficial certificado pela Confederação Brasileira de Handebol;

2°: Receber periodicamente: cursos, consultorias e certificações de maneira gratuita e oficial;

3°: Receber material pedagógico variado para as aulas e eventos, tais como: adaptações personalizadas de traves para o mini-handebol, banners com brincadeiras diversas em aula e material gráfico completo para divulgação e personalização de quadras com o logotipo do programa Mini-Handebol Brasil;

4°: Estar apto a receber suporte material e financeiro quando conquistados patrocínios, incentivos governamentais etc;

5°: Por meio da oficialização da chancela servir de referência de trabalho com o mini-handebol em sua região;

6°: Ter mais visibilidade e possibilidades de ações mediante à nova parceria, podendo a instituição chancelada inclusive utilizar a logomarca e o nome da Confederação Brasileira de Handebol para conquistar patrocínios e apoios individuais para cada polo;

7°: Cooperações pedagógicas virtuais e presenciais com a COSCABAL - Confederação Sul Centro Americana de Handebol e EHF - European Handball Federation, por meio de cursos, palestras e encontros diversos.

Metas em relação à quantidade de polos:
1° etapa: Contemplar com a chancela oficial em 2021 aproximadamente três polos que reúnam as condições preconizadas deste edital em cada Estado brasileiro e Distrito Federal.
Nota do autor: Foram contemplados 129 polos com a chancela direta e mais 127 com chancela futura, totalizando 256 polos (175 polos a mais do que o previsto inicialmente) evidenciando o potencial do mini-handebol no Brasil.

2° etapa: Contemplar com a chancela oficial em 2022 aproximadamente mais três unidades (ou mais) que reúnam as condições do presente edital em cada Estado brasileiro e Distrito Federal, além de renovar a chancela das unidades já participantes do programa (totalizando 6 polos em cada Estado brasileiro e Distrito Federal);

3° etapa: Contemplar com a chancela oficial em 2023 aproximadamente mais três unidades (ou mais) que reúnam as condições do presente edital em cada Estado brasileiro e Distrito Federal, além de renovar a chancela das unidades já participantes do programa (totalizando 9 polos em cada Estado brasileiro e Distrito Federal);

4° etapa: Contemplar com a chancela oficial em 2024 aproximadamente mais três unidades (ou mais) que reúnam as condições do presente edital em cada Estado brasileiro e Distrito Federal, além de renovar a chancela das unidades já participantes do programa (totalizando 12 polos em cada Estado brasileiro e Distrito Federal).

Metas em relação aos cursos e formação continuada
O programa docente tem como objetivo principal capacitar de maneira constante docentes que trabalham ou desejam trabalhar com o mini-handebol, respeitando as características locais, valorizando a experiência e diversidade pedagógica e incentivando a contribuição de todos e todas durante os encontros, no intuito de tecer uma rede colaborativa em prol do crescimento qualitativo e quantitativo do mini-handebol em todo Brasil.

1°: Promover anualmente 2 grandes cursos abertos oficiais de mini-handebol, gratuitos e com certificado de participação da Confederação Brasileira de Handebol para qualquer estudante, professora, professor e demais interessados, no intuito de despertar e ampliar o interesse de diversas áreas em nossa modalidade.

2°: Realizar os cursos de nível intermediário e especial com todos os professores participantes do projeto de maneira remota ou presencial, contemplando conteúdos e aspectos de suma importância para o funcionamento dos polos oficiais.

3°: Realizar encontros trimestrais oficiais com os responsáveis, professores e professoras de cada polo do projeto para contemplar o programa de formação continuada. Os encontros serão organizados em encontros regionais, nacionais e internacionais proporcionando momentos formativos e cooperativos inclusive com a COSCABAL - Confederação Sul Centro Americana de Handebol e EHF - European Handball Federation.

- Os Encontros Regionais serão realizados no 1° semestre do ano letivo (maio) promovendo debates, rodas de conversa e relatos de práticas, ações e novas experiências nos polos de cada região do Brasil previstas pelo programa.

- O Encontro Nacional será realizado on-line no 2° semestre do ano letivo (setembro) para socializar as práticas de cada região e proporcionar a participação em palestras e curso especiais com profissionais diversos para debater e proporcionar novas possibilidades de ações pedagógicas, metodológicas e organizacionais.

Já o Encontro Internacional será realizado no fechamento do ano letivo (dezembro) com apresentações de palestras, cursos, debates e mesas redondas com profissionais do mundo todo. Nesta ocasião haverá participação especial dos professores e professoras convidados dos polos, que apresentarão práticas e ações inovadoras desenvolvidas no programa.

4°: Incentivar cursos de educação física a incluir o mini-handebol em suas grades e projetos pedagógicos, por meio de reuniões, parcerias e envio de materiais didático-pedagógicos, on-line ou presenciais.

 

Requisitos mínimos para aprovação da chancela:


Obrigações da instituição
1) A instituição interessada obrigatoriamente já deve ter o mini-handebol em seu projeto pedagógico.
2) Deve ter acesso periódico a uma quadra ou ginásio em boas condições e que ofereça segurança nas aulas e eventos de mini-handebol.
3) As crianças devem ter acesso à banheiros e água potável durante as atividades.
4) Deve ter materiais básicos para realização das aulas, tais como: bolas de mini-handebol ou iniciação, coletes, cones etc.
5) Deve enviar um representante para participar das reuniões obrigatórias, informadas por comunicado oficial nos grupos de trabalho.
6) Realizar 1 (um) Festival de Mini-Handebol exclusivo do polo por ano.
7) Apoiar e dar condições ao professor(a) para realizar 1 vez por ano durante o ano letivo uma entrevista de 1 hora (presencial ou on-line) com um(a) atleta da Seleção Brasileira de Handebol (feminina ou masculina, júnior ou adulta) junto às turmas de mini-handebol da instituição.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Em relação ao professor/professora:
1) O professor ou professora responsável pelas aulas deverá ser formado em educação física e anexar no edital uma cópia do diploma.
2) Deve por meio deste formulário comprovar os trabalhos, estudos e ações junto ao mini-handebol (fotos, vídeos e documentos).
3) Deve ser registrado no Conselho Regional de Educação Física – CREF e no edital enviar uma cópia do documento com boa qualidade de imagem.
4) Deve participar dos cursos de formação básico, intermediário e especial e dos encontros docentes trimestrais.
5) Deve, junto à instituição, cadastrar as crianças no sistema da CBHb e enviar mensalmente:
- Lista de chamada;
- Relatórios de aulas e atividades;
- 1 vídeo de atividades gerais de 1 minuto (com vídeo na horizontal) em boa qualidade;
- 5 fotos das aulas, selecionadas pelo próprio professor(a).

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Em relação à parceria entre a instituição e Confederação Brasileira de Handebol:
1) Reconhecer que no presente momento a parceria não envolve remuneração ou aporte financeiro (ou qualquer vínculo jurídico, trabalhista, fiscal, civil etc) de ambas as partes, sendo um programa de cooperação para o desenvolvimento da do mini-handebol de forma colaborativa.
2) Compreender que o programa visa estabelecer relação de cooperação, solidariedade e respeito em prol das crianças, docentes e do handebol.
3) Que a instituição deverá personalizar as aulas e eventos com os materiais específicos do programa de forma a fortalecer os vínculos, dar visibilidade ao programa e divulgar de maneira constante o mini-handebol.
4) Que a CBHb proporcionará consultorias, encontros docentes

Para instituições que ainda não possuem o mini-handebol:

1. A Confederação Brasileira de Handebol, por meio de seu programa de desenvolvimento do mini-handebol promoverá cursos, capacitações e assessorias personalizadas para viabilizar a abertura de novos polos em todo Brasil.

2. Dúvidas? Envie um e-mail para [email protected]

 

 

O livro oficial de mini-handebol na Confederação Brasileira de Handebol já está disponível para download gratuito.

São 110 páginas com muitas informações sobre conceitos, filosofias, adaptações, estruturas de aulas, princípios de criação de atividades, novos métodos, possibilidades com o mini-handebol e muito mais!

Clique aqui para fazer o download gratuito do livro

 

 

O edital 2022 para novos polos do Mini-Handebol Brasil estão abertos.
Encerramento automático do edital dia 01 de dezembro de 2021 - 23h59 (horário de Brasília).

Nesta oportunidade temos edital para o Mini-Handebol (quadra indoor) e o Mini-Handebol de Praia!

Qualquer instituição pode solicitar chancela para Polo Futuro ou Polo Oficial.

Polo Futuro: Não trabalha com o mini-handebol, mas quer a assistência e apoio da CBHb para o projeto se concretizar no futuro.

Polo Oficial: Já trabalha com o mini-handebol, a instituição já oferece o mini-handebol, tem aulas periódicas, crianças inscritas etc. Caso seja aprovado recebe o Selo de Polo Oficial e muitos outros benefícios, um reconhecimento da CBHb ao trabalho desenvolvido em prol das categorias de base.

 

WhatsApp Image 2021-09-30 at 10.12.19

Para acessar o formulário, clique no link abaixo

Polo Oficial (já trabalho com o mini-handebol)

Polo Futuro (não trabalho ainda com o mini-handebol, mas quero!

 

WhatsApp Image 2021-09-30 at 10.12.19 (1)

Para acessar o formulário, clique no link abaixo

Polo Oficial (já trabalho com o mini-handebol)

Polo Futuro (não trabalho ainda com o mini-handebol, mas quero!

 

WhatsApp Image 2021-09-30 at 07.40.49

----- BREVE ------

 

WhatsApp Image 2021-09-30 at 07.40.49 (1)

Diretor Nacional de Mini-Handebol:
Prof. M.e. Diego Melo de Abreu

Vice-Diretora Nacional de Mini-Handebol:
Profª Esp. Telma Assis Lemos

Coordenadora Nacional do Mini-Handebol de Praia:
Profª Esp. Thamiris Madeira Duarte

Coordenadora Nacional do Mini-Handebol de Praia:
Profª M.a. Daniela Cardoso Nicolini

 

WhatsApp Image 2021-09-30 at 07.41.11

Atletas embaixadores:

Bárbara Elisabeth Arenhart
Rogério Moraes Ferreira

WhatsApp Image 2021-09-30 at 10.05.09

 

Embaixadores e Embaixadoras estaduais:

São os representantes oficiais do mini-handebol da Confederação Brasileira de Handebol em cada Estado brasileiro e no Distrito Federal. Atuam junto às federações, instituições,  professores e professoras em prol do desenvolvimento da modalidade em todo Brasil.

 

Acre
Shirley Maria da Silva Santos
Francisco Juvenal Almeida de Lima

Alagoas
José Carlos Silva dos Santos
Mayanny Roberta de Oliveira Lima
 
Amapá
Viviane Guedes da Silva
Amauri dos Santos Abreu
 
Amazonas
Jacqueline Batista dos Santos
Railson Silva de Queiroz
 
Bahia
José Berto Caetano de Oliveira Júnior
Ariane Moura Teixeira
 
Ceará
Maria Jucileide Gomes
Francisco Rafael Santos Lima

Distrito Federal
Irene França Barbosa
Cláudio Henrique Bastos de Carvalho
 
Espírito Santo
Thales Simões
Nara Barcelar Rocha
 
Goiás
Elhise Santos Alves Silva
Jefferson Junio Magalhães Araújo
 
Maranhão
Rosângela de Fátima Silva Diniz
Ludmilla Silva Gonçalves
 
Mato Grosso
Luiz Mateus Coty
Márcia Kestring Dagostin
 
Mato Grosso Do Sul
Elton Pereira de Melo
Elisabeth Poloni Nuñez

Minas Gerais
Wanderley Lúcio Maia
Guilherme Caetano Salgado

Pará
Ronaldo da Cunha Nascimento
Maraísa Lima Oliveira
 
Paraíba
Bruno Rodrigues da Silva
Ricardo Medeiros Ramos
 
Paraná
José Carlos Mendes (Spock)
Diva De Oliveira Pinguelli
 
Pernambuco
Cintia Rayane Chagas Silva
José Brenno Ferreira Coelho Benjamim
 
Piauí
Isael Silva da Costa
Beatriz Lima de Araújo
 
Rio De Janeiro
Daniela Rodrigues Guimarães
Luigi Barreto Francavilla

Rio Grande Do Norte
José Ribamar Jacome Júnior
Suedna Miranda de Lima

Rio Grande Do Sul
Márcia Korndoerfer Tornin
Juliano de Lázzer Cardoso
 
Rondônia
Airton Anacleto
Luana Aline Pantoja
 
Roraima
Elton Guedes
Cláudia Regina de Oliveira
 
Santa Catarina
Giovana Letícia Goetz
Martinho Mrotskoski Neto
 
São Paulo
Rogério de Lima Carreon
Alessandra de Biasi Fonseca
 
Sergipe
Alexandre Cerqueira Pereira
Taize Ribeiro De Sousa
 
Tocantins
Cézar Augusto Caldas Souza Leão
Jéssica Fernandes dos Santos Araújo

 

WhatsApp Image 2021-09-30 at 07.41.13

Após o lançamento do programa em 02 de julho e do sucesso de inscrições no edital 01/2021 foram aprovados 129 polos oficiais, presentes em 24 estados brasileiros. Também foram aprovadas 127 instituições para participar do programa na categoria “chancela futura” que foi criado para dar suporte, apoio e condições para que novos polos oficiais de mini-handebol continuem surgindo pelo Brasil.
O processo de aprovação dos polos envolveu diversas etapas de análise, entre elas: validação e análise da inscrição on-line, análise da inscrição pela diretoria de mini-handebol, análise dos embaixadores de cada estado e análise a aprovação do comitê de chancela da Confederação Brasileira de Handebol.
A seguir a lista de todos os 129 polos oficiais do Mini-Handebol Brasil, organizadas da seguinte maneira: Nome da instituição/Cidade/Estado:

1. Escola Diogo Feijó/Rio Branco/Acre
2. Escola Monteiro Lobato/Maceió/Alagoas
3. Instituto Nacional/Palmeira Dos Índios/Alagoas
4. E. E. Rivanda Nazaré Da Silva Guimarães/Macapá/Amapá
5. Centro Educacional Adalberto Valle/Manaus/Amazonas
6. Associação Diamantes Do Handebol Andaraí/Andaraí/Bahia
7. Associação Humano Progresso Brasil/Salvador/Bahia
8. Sa Projeto Handebol Santaluz/Santa Luz/Bahia
9. Instituto Hand Social/Santo Amaro/Bahia
10. Associação Desportiva, Cultural e de Lazer Ceará Nosso/Fortaleza/Ceará
11. LMD - Liga Maracanauense de Desporto/Maracanau/Ceará
12. CAIC Unesco/São Sebastião/Distrito Federal
13. Cid Qnl-Cef 19-Ec 50/Taguatinga Norte/Distrito Federal
14. Escola Municipal Erasmo Braga/Barra De São Francisco /Espírito Santo
15. Handsul Cachoeiro/Cachoeiro De Itapemirim/Espírito Santo
16. Colégio Expoente de Castelo/Castelo/Espírito Santo
17. Projeto Ecoporanga Handebol /Ecoporanga/Espírito Santo
18. Escolinha Mais Hand/Pinheiros/Espírito Santo
19. Associação De Handebol Tigers/Rio Novo Do Sul/Espírito Santo
20. ASCAH/ Caçu/Caçu /Goiás
21. Espaço K2 Funcional e Esportes/Caldas Novas/Goiás
22. Associação Catalana de Iniciação e Treinamento Esportivo/Catalão/Goiás
23. Seven Comandos/Cidade Ocidental/Goiás
24. Lifestyle - Centro De Treinamento Esportivo: Polo 1/Goiânia/Goiás
25. Lifestyle - Centro De Treinamento Esportivo: Polo 2/Goiânia/Goiás
26. Secretaria De Esporte E Juventude de Trindade/Trindade/Goiás
27. Associação Campo Verde de Handebol e Esportes /Campo Verde/Mato Grosso
28. Prefeitura Municipal de Campo Verde/Campo Verde/Mato Grosso
29. AIHB/Ipiranga do Norte/Ipiranga do Norte/Mato Grosso
30. Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte/Sapezal/Mato Grosso
31. PM Sinop/A.A.S. HB/Sinop/Mato Grosso
32. A.A.S. Hb Sinop/Sinop/Mato Grosso
33. Prefeitura Municipal de Sorriso/Sorriso/Mato Grosso
34. Colégio Vinícius de Moraes/Sorriso/Mato Grosso
35. Associação Sorriso de Handebol (Ashb)/Sorriso/Mato Grosso
36. E.M. Dr. Eduardo Olímpio Machado/Campo Grande/Mato Grosso Do Sul
37. Escola Municipal Profº Licurgo de Oliveira Bastos/Campo Grande/Mato Grosso Do Sul
38. E.M. Múcio Teixeira Jr/Campo Grande/Mato Grosso Do Sul
39. Escola Municipal Profª Adair De Oliveira /Campo Grande/Mato Grosso Do Sul
40. FUNESP- Fundação Municipal de Esportes de Campo Grande/Campo Grande/Mato Grosso Do Sul
41. Escola Municipal Castelo Branco/Jardim/Mato Grosso Do Sul
42. E.E. José Garcia Leal/Paranaíba/Mato Grosso Do Sul
43. Prefeitura de Arcos/Arcos/Minas Gerais
44. ABESC- Associação Buritis de Esporte e Cultura/Belo Horizonte/Minas Gerais
45. Escola Limes de Handebol/Belo Horizonte /Minas Gerais
46. Cachoeira de Minas Handebol/Cachoeira de Minas/Minas Gerais
47. Handebol Goianá/Goianá /Minas Gerais
48. Prefeitura Municipal de Ituiutaba/Ituiutaba/Minas Gerais
49. Prefeitura Municipal de Onça de Pitangui/Onça de Pitangui /Minas Gerais
50. ADESCC Ourohand/Ouro Fino/Minas Gerais
51. UFOP/Ouro Preto/Minas Gerais
52. Associação Esporte Solidário Gustavo Elias/Pompéu/Minas Gerais
53. Hand 7 Associação /Ipatinga/Minas Gerais
54. Handebol Ponte Nova/Ponte Nova/Minas Gerais
55. Centro Esportivo Helena Fialho /Castanhal /Pará
56. Associação Beneficente Duck/Moju /Pará
57. Colégio Motiva Campina Grande/Campina Grande/Paraíba
58. Escolinha de Mini-Handebol – SEJELCG/Campina Grande/Paraíba
59. APMF Escola Estadual Maristela E. F./Alto Paraná/Paraná
60. Centro de Educação Infantil Ana Nery/Alto Paraná/Paraná
61. Centro de Educação Infantil Maria José Vasconcelos/Alto Paraná/Paraná
62. Centro de Educação Infantil Vereador Alvino Mendonça/Alto Paraná/Paraná
63. Centro de Educação Infantil Stella Maris/Alto Paraná/Paraná
64. Centro de Educação Infantil Vitória Stefane Barbon/Alto Paraná/Paraná
65. Escola Municipal Julia Wanderley/Alto Paraná/Paraná
66. Escola Municipal Chapeuzinho Vermelho/Alto Paraná/Paraná
67. Escola Municipal Alto Paraná/Alto Paraná/Paraná
68. Escola Municipal João Honório Luiz/Alto Paraná/Paraná
69. Escola Municipal do Campo Cristiano Barbom/Alto Paraná/Paraná
70. Prefeitura Municipal de Cambé/Cambé/Paraná
71. Associação de Handebol de Campo Mourão – AHANDECAM/Campo Mourão Paraná
72. Centro de Esporte e Lazer Avelino Vieira/SMELJ Curitiba/Curitiba/Paraná
73. Secretaria de Esportes do Município De Goioerê/Goioerê/Paraná
74. Associação Guarapuavana de Handebol/Guarapuava/Paraná
75. Escola Educacional Biodiversidade/Londrina/Paraná
76. E.M. Maria dos Santos Severino - Prefeitura de Marialva/Marialva/Paraná
77. C.E. Dr. Felipe Silveira Bittencourt – EFM/Marialva/Paraná
78. Handebol Mercedes/MCR Amidos/Mercedes/Paraná
79. Associação de Handebol De Paranaguá/Paranaguá/Paraná
80. Prefeitura Municipal de Pinhão/Pinhão/Paraná
81. Clube Português do Recife/Recife/Pernambuco
82. Colégio Sagrado Coração de Jesus/Teresina/Piauí
83. Petropolitano Foot-Ball Club/Petrópolis/Rio De Janeiro
84. Colégio de Aplicação de Resende/Resende/Rio De Janeiro
85. CESC - Centro Educacional Suzano Costa /Rio De Janeiro /Rio De Janeiro
86. Escola Municipal Profª Trindade Campelo/Currais Novos/Rio Grande Do Norte
87. Colégio Marista De Natal /Natal /Rio Grande Do Norte
88. Clube de Handebol Capão da Canoa – CHCC/Capão da Canoa /Rio Grande do Sul
89. ESEF/UFPEL/Pelotas /Rio Grande Do Sul
90. Colégio Sinodal do Salvador/Porto Alegre/Rio Grande Do Sul
91. Handaction/Porto Alegre/Rio Grande Do Sul
92. Prefeitura de Sapucaia do Sul - Secretaria de Esportes/Sapucaia Do Sul/ Rio Grande do Sul
93. Prefeitura Municipal de Tapera/Tapera/Rio Grande do Sul
94. Associação Amigos do Handebol - AAH/Chapecó/Chapecó/Santa Catarina
95. Associação Nova Geração de Handebol/Concórdia/Santa Catarina
96. EMEF Jorge da Cunha Carneiro/Criciúma/Santa Catarina
97. Associação Sul Americana /Florianópolis/Santa Catarina
98. Vale do Handebol Indaial/Indaial/Santa Catarina
99. Handebol Itajaí - ACEU/ADI/Itajaí /Santa Catarina
100. Adrecha /Joaçaba/Santa Catarina
101. Emef Ministro Pedro Aleixo/Massaranduba /Santa Catarina
102. AHPS - Associação De Handebol Palmassolense/Palma Sola/Santa Catarina
103. Escolinha Handebol Peritiba /Peritiba/Santa Catarina
104. S.M.E/Handebol Barretos/Barretos/São Paulo
105. Prefeitura Municipal da Cidade de Carapicuíba/Carapicuíba/São Paulo
106. SMEL- Projeto "Bom de Escola, Bom de Esportes“- Handferpa/Fernandópolis/São Paulo
107. Prefeitura Municipal de Francisco Morato /Francisco Morto/São Paulo
108. Colégio Mater Amabilis /Guarulhos /São Paulo
109. Herkules/Guarulhos/Guarulhos /São Paulo
110. Associação De Pais E Amigos Do Handebol Mococa/Mococa/São Paulo
111. Clube Mogiano/Mogi Mirim/São Paulo
112. Instituto Crescer no Esporte /Setur /Rio Claro/São Paulo
113. Prefeitura Municipal de Santo André/Santo André /São Paulo
114. Condomínio Enseada das Orquídeas/Santos/São Paulo
115. A.D.C. Mão Solidária/São Bernardo do Campo/São Paulo
116. Colégio Ábaco/São Bernardo Do Campo/São Paulo
117. Colégio Arbos SBC/São Bernardo do Campo/São Paulo
118. Prefeitura Municipal de São João da Boa Vista/Time São João/São João Da Boa Vista/São Paulo
119. Colégio Salgueiro/São Paulo/São Paulo
120. Colégio Giordano/São Paulo/São Paulo
121. Colégio Renascença/São Paulo/São Paulo
122. Emef Dep. João Sussumu Hirata/São Paulo/São Paulo
123. Colégio Marquês de Monte Alegre/São Paulo/São Paulo
124. Handtaipas/São Paulo /São Paulo
125. Escola Educativa DN Handebol/Sorocaba/São Paulo
126. Handebol Além Das 4 Linhas /Suzano/São Paulo
127. Mini-Handebol Taubaté/Taubaté/São Paulo
128. Polo Avedis/Taubaté/São Paulo
129. Prefeitura Municipal de Votorantim/Votorantim/São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

Download de Anexos

Acesse abaixo os arquivos correspondentes.

# Data
  Carta Convite do Mini-Handebol para Instituições 30/09/2021 10:15

 

Navegação

Apoiador

Parceiros Institucionais

logo-cbc

Filiado A