Indoor

Brasil perde na estreia no Mundial de Handebol Feminino

Publicado em: 30/11/2019 06:00

Por: Imprensa

Brasil x Alemanha (foto reprodução)

 

O Brasil estreou com derrota para a Alemanha por 30 a 24 na madrugada deste sábado, às 3h (horário de Brasília), no Ginásio Geral da Cidade de Yamaga pelo 24º Campeonato Mundial de Handebol de Kumamoto, no Japão. As brasileiras estão no forte grupo B, que tem a atual campeã mundial França, a Dinamarca, a Coreia e a Austrália. A competição começou neste sábado (30/nov) e vai até o dia 15 de dezembro. O próximo compromisso do Brasil será contra a atual campeã mundial França, na madrugada deste domingo (30/nov).

O supervisor da Seleção Brasileira Álvaro Casagrande afirmou que a equipe se apresentou bem no geral, mas sofreu com erros que custaram a derrota. ”Alternamos boas ações de ataque que resultaram em gols ou tiros de 7 metros, com alguns erros de finalização e precipitações, oferecendo o contra-ataque às adversárias”, avaliou.

1º tempo
A Seleção Brasileira fez um primeiro tempo intenso contra a forte Alemanha, sempre buscando se aproximar no placar. Teve atuação com atitude, mas a defesa alemã e, principalmente a goleira Dinah Eckerle, dificultaram muito a vida das brasileiras. Pelo Brasil, Babi Arenhart também se destacava, e realizou defesas importantes durante a etapa inicial. Destaque para Alexandra Nascimento, que fez 100% nas cobranças de 7m. Os 5 minutos finais do 1º tempo foram mais complicados para o Brasil, que errou ataques e viu a Alemanha ampliar a diferença para três bolas (14x11).

2º tempo
O Brasil não voltou bem na etapa final e voltou a ter problemas no ataque, que seguia tentando furar a forte defesa alemã. Quando conseguia, parava mais uma vez em Eckerle. A goleira alemã foi escolhida o destaque da partida, com 48% de eficiência (20/42). Com isso, as adversárias do Brasil aproveitaram e ampliaram ainda mais a vantagem, fechando o placar em 30 a 24. O Brasil chutou 53 vezes e marcou 24 gols (45%). A Alemanha fez 55 arremessos e 30 gols (54%).

Em entrevista coletiva ao final da partida o técnico Jorge Dueñas disse que o Brasil jogou em um bom nível, mas ressaltou que tiveram problemas de finalização, dificultados pela goleira Eckerle. A goleira Barbara Arenhart disse que o Brasil teve bons momentos na partida, mas que os erros custaram bolas importantes. Babi afirmou, também, que acredita que a Seleção possa ainda buscar a classificação para a fase seguinte.

Sistema de disputa
A forma de disputa do Mundial de Kumamoto será o Main Round, adotado em competições como da Liga Europeia de Handebol (EHF). Nesse sistema, três equipes passam para a próxima fase e levam junto os pontos obtidos nas partidas disputadas entre classificados.

Jogos do Brasil (Horário de Brasília)
30/11 – Sábado
Brasil 24x30 Alemanha
01/12 – Domingo
3h – Brasil x França
03/12 – terça-feira
3h – Brasil x Coreia
04/12 – quarta-feira
8h30 – Brasil x Dinamarca
06/12 – Sexta-feira
3h – Brasil x Austrália
Conforme informação da Federação Internacional de Handebol (IHF, na sigla em inglês), “a transmissão ao vivo no site ihf.info será bloqueada geograficamente no Brasil (conforme os direitos de transmissão são vendidos), mas, ao mesmo tempo, não há ninguém transmitindo no Brasil”.

As convocadas:
Goleiras: Bárbara Arenhart (Vaci Noi Kezilabda/HUN), Gabriela Moreschi (Fleury Loiret/FRA) e Renata Arruda (Bera Bera/ESP);

Pontas: Adriana de Castro (Bera Bera/ESP), Ana Cláudia Bolzan (Esporte Clube Pinheiros/BRA), Alexandra Nascimento (Érd HC/HUN), Larissa Araújo (CSU Cluj Napoca/ROM) e Mariana Costa (CS Gloria Bistrit Nasaud/ROM);

Centrais: Ana Paula Belo (Rostov/RUS), Bruna de Paula (Fleury Loiret/FRA) e Patrícia Machado (MKS Zaglebie Lubin/POL);

Armadoras: Deonise Fachinello (Bourg de Péage/FRA), Eduarda Amorim (Gyori Audi Eto KC/HUN), Jaqueline Anastácio (Magura Cisnadie/ROM) e Samara Vieira (SCM Ramnicu Valcea/ROM); Gabriela Bitolo (Esporte Clube Pinheiros)

Pivôs: Isaura Menin (Rincón Fertilidad Malaga/ESP) e Tamires Araújo (HC Dunãrea Brãila/ROM).

Comissão Técnica: Jorge Duenas (Técnico), Juan Carlos Solar (Auxiliar Técnico), Cristiano Rocha (Auxiliar Técnico), Álvaro Casagrande (Supervisor), Jéssica Rocha (Fisioterapeuta), Júlia Bargieri (Nutricionista) e Pauline Bittencourt (Médica).

A Confederação Brasileira de Handebol é parceira do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e da Kempa Brasil.

Reportagem: Andréa Rodrigues (@deajornalista) | Jornalista Tchê Esportes

Compartilhe:

Comentários

comentários providos por Disqus

Apoiador

Parceiros Institucionais

Filiado A